Paris com Criança – Parte 2


“Quando o dedo aponta o céu, o idiota olha para o dedo”.

Amelie Poulain

 

Como prometido, vamos continuar com os palpites de como aproveitar sua viagem a Paris levando seu filho pequeno. Se você perdeu a parte 1, veja lá no post anterior que tem muita coisa bacana lá também! Então, vamos continuar nosso roteiro?!

  1. Jardin du Luxembourg

Fomos duas vezes. A primeira, foi logo em seguida do Museu d’Orsay, mas ao chegarmos, descobrimos que o parque fechava às 18:30hs. Tínhamos apenas uma hora que, em se tratando do Jardin du Luxembourg, ainda mais com uma criança, é quase nada. O mais inusitado do parque é o lago dos barcos onde as crianças podem brincar de pequenos velejadores. Muito belo, o lago é cercado de pequeninos que disputam com seus barcos para ver qual deles chega mais longe. Lá também há um enorme parque infantil que só conseguimos ir na segunda visita quando então Francisco passou horas brincando na companhia do seu amigo Theo.

 

 

 

 

  1. Castelo de Versailles

 

Sem dúvida um programa maravilhoso para adultos e crianças. A ida já foi uma diversão, pois fomos de trem (é a maneira mais fácil e rápida de chegar a Versailles) e me falem qual é a criança que não ama um trem. Começamos pela visita interna e depois fomos para o exterior e aí sim o nosso pequeno espoleta divertiu-se a valer percorrendo as alamedas labirínticas, contemplando os lagos, os maravilhosos jardins… e nós ficamos com aquela sensação de imaginar todos os reis que por ali passaram e a vida que viviam num lugar tão esplendoroso como aquele.

 

 

 

  1. Museu Georges Pompidou

Sem sombra de dúvida é o melhor museu para levar crianças. Cheio de instalações, muitas luzes, tudo agrada aos pimpolhos. Você se diverte junto com eles e ainda fica babando nos Mondrian, Miró, Andy Warhol… a vista também é um espetáculo à parte e o próprio prédio do museu é uma obra de arte arquitetônica.

 

 

 

 

  1. Place des Vosges

A linda praça situada no coração do Marais é uma delícia de programa para você fazer com seu filho em Paris. Primeiro, você deixa ele brincar à vontade na praça que é belíssima e também desfruta do seu bucolismo. Depois, quando chegar a hora do almoço, você poderá escolher dentre os diversos bistrôs ao redor da praça. Nosso eleito foi o Carretes, muito tradicional e onde eu comi a melhor sopa de cebola da minha vida! Se tiver sorte, seu pequeno de tão cansado vai cochilar no carrinho e você poderá almoçar mais tranquilamente…

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  1. Montmartre e Sacre Coeur

 

O charmosíssimo bairro de Montmartre já vale o passeio. Mas não deixe de subir até o Sacre Coeur, nem que seja para apreciar a bela vista lá de cima. Para os pequenos, a diversão fica por conta do bondinho que leva e traz os turistas para visitarem a basílica. Tem também um pequeno carrossel em frente. Depois, perca-se nas ruas de Montmartre, até achar um lugar para comer…, mas, se quiser seguir meu palpite, vá ao Le Relais Gascón. Comida ótima, bons preços e um delicioso cassoulet, a famosa feijoada francesa.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

E então? Animou-se a viajar com seu filho pequeno? Para nós, tudo depende de alguns truques para que tudo corra bem com você e com a criança, mas no meu modesto palpite, Paris foi uma cidade que, contrariando sua fama de não ter muito tolerante com crianças, surpreendentemente se revelou um lugar muitíssimo amigável para viajar com pequenos. Por fim, vou deixar uma listinha rápida de palpites que podem ser muito úteis para quem pretende embarcar nessa:

 

  1. Carrinho de bebê – é um aliado poderoso para você se locomover com seu filho pequeno pela cidade. No entanto o metro não possui escadas rolantes nem elevador. Leve isso em conta.
  2. Leve todos os remédios daqui – tanto para você quanto para seu filho. Evite não conseguir comprar por não ter receita médica.
  3. Esqueça hotéis – a melhor forma de se hospedar com crianças é num apartamento. Recomendamos o Aibnb.
  4. Comida – se eu filho não é muito bom de comer, ainda mais em restaurantes, faça um café reforçado (eu dava até ovos mexidos para ele) e depois uma besteira pelo caminho para depois fazer um jantarzinho caprichado para ele (e, no nosso caso, todos nós) no apartamento. Sem estresse.
  5. Se ele toma leite, leve do Brasil o que ele está acostumado a tomar.

Agora é só fazer as malas e … bon voyage!!!

 

Posts Relacionados

Viajar com pequenos Esse texto vai ao desencontro do texto da minha amiga palpiteira Rafa, “Viajando sem filhos”. Sim, é justamente o oposto, em todos os sentidos. Porque...
Higienópolis: O bairro mais carioca de São Paulo Dizem por aí que, para enxergarmos melhor, é preciso tomar uma certa distância. Essa analogia me cai como uma luva pois nasci em São Paulo e há quinze...
Lima e sua rica gastronomia Lima, a capital do Peru, é uma cidade surpreendente. Ao chegar, você se depara com um céu cinza, um trânsito caótico, onde quem buzina mais alto ganha...
Hospedagens alternativas: porque você tem que fugi... Durante muito tempo, quando pensávamos em viajar para conhecer lugares distantes, culturas diferentes, a oferta de hospedagem de certa forma limitava ...
Maria Carolina Amendolara

administradora de empresas, paulistana com cidadania carioca, mãe de Graziela e Francisco, ama tomar vinho e cozinhar para os amigos, nossa morena encaracolada, e, claro, palpiteira.

VEJA OUTROS PALPITES

DEIXE SEU PALPITE

Siga o Palpitando

Os Palpiteiros

Carol, Rafa, Gi, Marcos e Beta

Carol, Rafa, Gi, Marcos e Beta

Somos cinco amigos muito palpiteiros que gostariam de convidar todos para entrar nessa sala de estar virtual e, junto conosco, tornar-se um palpiteiro por aí...